segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Caminhos Sem Razão


Olho e vejo uma vida amena,
Com emoções pequenas.
Rios, lagos e flores...
Tudo para esconder suas dores.

Passos largos em alguma direção,
Num caminho que não tem mais razão.
Mas mesmo assim ele foi trilhado,
Talvez esteja à procura de seu amado.

Como está vazio este olhar,
Até o sorriso dos seus lábios resolveu se retirar.
Será que isso no seu rosto é saudade?
Feche os olhos e deseje que tudo isso se acabe.

Ficar assim não vale mais a pena,
Faça com que sua vida não seja mais amena.
Aquele amor que você muito desejou
Ainda não lhe deixou.

Então veja que existe uma esperança,
Como aquela que vejo nos olhos da criança.
Não deixe o amor se abater,
E verás o quanto ainda tem para viver.

2 comentários:

  1. Olá Ana Paula,
    Passei por aqui para conhecer seu blog. Gostei do blog,do poema" Caminhos Sem Razão" e mais, adooorei sua visita.
    Vou mas volto!
    Dalinha Catunda

    ResponderExcluir
  2. fui operada à mão direita.
    correu bem.

    quando puder escrever volto beijinhos saudades

    ResponderExcluir

Seja bem vindo, seu comentário é muito importante para meu desempenho. Obrigado!