quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Um Ano Se Passou (no clima de saudade)

Gente, última postagem do ano, quero agradecer a todos que por aqui passaram. Se ainda estou com o blog na rede foi porque teve retribuição de vocês, agradeço de coração. E que em 2010 seja mais um ano de bençãos e muitas poesias como foi este ano de 2009. Obrigada!





Ah, tanta coisa eu deixo para trás
Aquele amor tão fugaz
Realizações tão pendentes
Coisas que ainda fica dentro da gente
Mais um ano se passou
A saudade em meu peito já brotou
Saudade dos amores não vividos
Dos dias que fiquei sem meus amigos
O arrependimento de não fazer alguém sorrir
De não ter esperado o céu se abrir.
Mais um ano está acabando
Olho para o alto e vejo o céu chorando
Se despedindo do ano que o acompanhou
Que o acolheu e que o marcou...
Para o ano que virá faço novas promessas
Todas elas eu sei que são incertas
Porque estou deixando tanta coisa para trás
Coisas que não quero lembrar mais
Coisas que ficaram para trás...
Ah, saudade...
De um ano que não irá acabar tarde
Porque ele já passou
E o sentimento de querer mais ele deixou
Mas como todos ele tem que passar
Para um novo ano começar.


Feliz Ano Novo galera!! Um 2010 cheio de amor, paz e muito dinheiroooo. rsrs

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Noite de Saudade


Essa noite a saudade veio me tocar
Com suas palavras chamando-me para amar
Querendo me levar para ti
Num lugar longe daqui
Onde essa noite também te inspira saudade
De um desejo que em ti ainda arde
Que faz você delirar todas as noites de saudade
Daquele sentimento que nos invade
Sem ao menos perceber
Que o sentimento está invadindo teu ser
E que te deixa com os sentidos loucos
Querendo te trazer aqui de novo
Para lembrar de nossos amores
Aqueles que tinham vários sabores
E que hoje virou uma noite de saudade
Saudade dos desejos que ainda nos invade
Mesmo que distantes
Pois as lembranças nos tocam a todo instante
Nos chamando cada vez mais para amar
Porque no coração a saudade estar
Fazendo a mente delirar
Por um desejo que estar longe para amar.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

A Dor Da Perda


Foi um vazio que se formou
Um silêncio imenso que me tomou
E a dor de te perder
Me faz parar de viver
Ultrapassando os limites da minha vida
Levando-me ao momento de sua ida
Um momento de desespero
Que me deixou como um bloco de gelo
Paralisada diante daquela cena
Que fez minha vida virar "amena"
Sem sentidos por não ter você
Por não mais poder te ter
Como eu sempre tinha em meus braços
Com você se perdendo em meus abraços
Abraços que tanto te consolaram
E que hoje não mais te consolam
Por não ter mais você aqui
Bem aqui... aqui perto de mim
Como era antes
Antes de você ficar distante
Desde aquele dia em que te perdi
Partindo para distante daqui.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Noite de Natal - Final


No dia seguinte, já no dia de Natal o senhor Manfred, pegou aquela carta que na verdade era um testamento e resolveu ler e dizia assim:


Eu Wolfgang Schmidt, em minha sã consciência, estou aqui escrevendo o que quero que seja realizado após minha morte. Quero que todos os meus bens que aqui deixo, fique para o meu melhor carpinteiro Manfred Ackermann, por sua competência e por sua bondade. E também pela singela carta de sua filha que esteve em minhas mãos, por ela ser tão simples e ao mesmo tempo cheia de esperança. Quero que assim conforme meu desejo seja realizado.”


Ao terminar de ler Manfred, abaixa a cabeça e deixa cair de seu rosto uma lagrima, de esperança e gratidão por quem havia deixado tudo para ele.

E logo depois ele contou para sua esposa e sua filha o que havia acontecido e em seguida ele procurou o advogado do senhor Wolfgang, e o advogado lhe deu todos os direitos de posse dos bens que lhe havia ganhado.


Então Racchel resolveu fazer uma oração, onde ela agradecia a Deus por tudo que tinha acontecido e dizia que aquela foi o seu melhor Natal e o mais especial.


Para a família Ackermann, aquilo foi uma benção que caiu dos céus, logo eles que passaram por tantas necessidades, que não havia condições de presentear a filha e que muitas das vezes lhe faltou o pão em sua mesa, do dia para noite, eles se tornaram a família mais rica de toda Munique.

Eles por serem gratos, eles continuaram a tradição do senhor Wolfgang em ajudar pessoas necessitadas. E com amor àquela família recebeu o maior presente que eles poderiam receber. Mais do que posses, eles receberam um sinal que no Natal tudo é possível. Que da noite pro dia, uma família que era muito pobre se tornou a mais rica da cidade, não somente de dinheiro, mas também de esperança e amor.


- FIM -



Moral da história: Apesar de todas as dificuldades que enfrentamos em nosso dia-a-dia, e mesmo que você olhe para os lados e veja tudo vazio, ainda assim, acima de tudo, tenha fé e esperança.


Vocabulário do texto em Alemão:

Markt: mercado

Meine liebe: meu amor

Tochter: filha



Para ver as partes anteriores, vá até arquivo de poesias.


- O que achou de toda história? Deixe sua opinião e sugestões nos comentários...



Feliz Natal pessoal!

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Noite de Natal - O dia 24 - Parte 4


Na véspera de Natal o senhor Wolfgang acordou bem cedo e foi entregar todos os presentes para a família daquela menina, chegando lá ele deixou tudo acomodado na porta da casa dos Ackermann, tocou a campainha e saiu. Veio até a porta o pai de Racchel, o senhor Manfred, e ele não acreditou quando abriu a porta e viu todas aquelas coisas ali e ele logo começou a agradecer a Deus e pediu para abençoar aquele que havia deixado tudo aquilo em sua porta. Logo em seguida ele chamou a sua esposa e sua filha e quando Racchel viu todos aqueles presentes ela teve a certeza de que Papai Noel existia.


Sem perder tempo eles colocaram todas aquelas coisas para dentro, Racchel havia ficado muito feliz com a linda boneca que havia ganhado naquele dia, então ela resolveu abrir a caixa de sua boneca, quando ela viu que ali dentro havia uma carta, uma carta que até então havia sido escrita pelo Papai Noel e ela logo começou a ler em voz alta para os pais ouvirem também e assim dizia:


Querida Racchel, eu sou aquele homem que você ouviu falar lá na praça no outro dia, encontrei sua carta por acaso na porta de minha residência, quando a li eu resolvi ir pessoalmente a sua casa e lhe entregar todos esses presentes para você e sua família. Espero que este seu Natal seja diferente de todos os outros e que você possa sempre ter fartura em sua mesa todos os dias do ano.

Com carinho...


Sr. Wolfgang Schmidt


Ao acabar de ler a carta, seu pai ficou muito surpreso em saber que o homem que havia presenteado sua família, era o seu próprio patrão. Ele ficou muito feliz com o ato de solidariedade e então ele disse a sua esposa que ia sair rapidamente, mas já voltara.


O pai de Racchel, foi até a casa de patrão para agradecer pelo que ele havia feito, chegando lá para sua surpresa ele encontrou o senhor Wolfgang Schmidt jogado pelo chão, ele estava gelado e já não respirava então ele rapidamente chamou um médico que constatou que o senhor Wolfgang Schmidt, havia falecido.


Muito triste o pai da menina pegou aquela carta e retornou para sua casa...

Aquela noite de Natal foi a mais feliz que toda a família Ackermann já havia tido, a pequena Racchel estava muito feliz por ter seu pedido realizado e assim eles comemoraram sua primeira noite de Natal. E assim a noite passou...


Final da história amanhã, não percam! Para ver as partes anteriores, vá até arquivo de poesias.


Meu blog de Receitas, visite: CLIQUE AQUI


sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Noite de Natal - A Carta chegou ao destino... - Parte 3


Passaram-se dois dias, até que a menina esquecera daquela carta que havia escrito... E foi no dia 22 sua mãe pegou a carta e guardou dentro da blusa e saiu pelas ruas de Munique, no meio do caminho ela foi pega de surpresa por uma tempestade de neve que caía naquela época do ano e a cartinha de sua filha voou pela tempestade a fora... Sem saber como recuperar aquela cartinha Kristin voltou para sua casa e com tristeza ela disse para sua filha o que havia acontecido. Racchel ficou muito triste por não poder receber o que havia pedido ao Papai Noel, já que sua mãe havia perdido sua cartinha.

Assim a noite chegou e o frio se fez presente em Munique, Racchel e sua família só não imaginavam o que lhe esperavam.



Aquela carta não havia ido muito longe, ela voou para a parte mais nobre de Munique, onde só moravam as pessoas ricas. E na manhã do dia 23 de dezembro, o Senhor Wolfgang Schmidt, o homem mais rico de toda Munique, abriu a porta de sua mansão e foi até o portão enorme de sua casa, ao olhar para o chão ele encontra um pequeno envelope, então ele se abaixou e o pegou.

Ao voltar para sua moradia o Senhor Wolfgang, sentou-se em sua mais confortável poltrona e resolveu abrir aquele envelope, para sua surpresa ele encontrou uma carta e então começou a ler. Ele leu toda a carta e ficou muito emocionado e para sua surpresa aquela carta se travava da carta da filha de um dos seus empregados, o senhor Manfred W. Ackermann, o seu melhor carpinteiro.


Aquela carta havia caído em mãos certas, pois desde a perda de sua mulher e seu filho o senhor Wolfgang em todos os Natais ele se vestia de Papai Noel e entregava presentes paras as famílias mais carentes de Munique, e então para divulgá-lo, ele contratou uma mulher para contar a historia do Papai Noel na praça da cidade.


Estava resolvido, ele iria ajudar a família da pequena Racchel. Então ele saiu pelas ruas e foi ao Markt e comprou muita comida, fez uma compra enorme, especialmente para uma noite de Natal. E ele fez mais, passou também na melhor loja de brinquedos de Munique e lá pediu ao vendedor as bonecas mais lindas que havia para venda e não esqueceu da arvore de Natal. Ele então pegou todas aquelas coisas e pos em seu carro e foi para sua casa.



Continuação na segunda-feira, não percam! Para ver as partes anteriores, vá até arquivo de poesias.




Pratos & Cia - Blog de Culinária http://apma-receitas.blogspot.com/

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Noite de Natal - A Carta - Parte 2


No início ela não sabia bem o que escrever, mas depois de um tempo pensando ela decidiu começar contando um pouco sobre sua vida.

A cartinha dela dizia assim:


Querido Papai Nuel... eu me chamo Racchel, tenho oito aninhos e moro numa cidade chamada Munique na Alemanha. Eu estava passando pela rua com minha mamãe, quando eu vi uma senhora falar sobre o senhor e eu fiquei ali ouvindo o que ela dizia. E ela disse que o senhor entregava presente para todas as crianças desse mundo, então resolvi escrever uma cartinha. Meu papai e minha mamãe, não têm condições de comprar um presente pra mim, toda vez que os peço um presente eles dizem que não podem me dar por que não tem dinheiro. Papai Nuel, por que um pedaço de papel vale tanto?! Meus pais nem sempre tem dinheiro para comprar comida para nossa casa.

Muitas vezes eu passei pela rua e via uma linda boneca na loja e eu ficava sempre admirando aquela boneca linda, eu sempre pedia a minha mamãe para comprar pra mim, mas ela nunca podia.

Até o dia em que eu ouvi falar do senhor, e resolvi escrever. Eu não quero Papai Nuel uma boneca daquela que viu lá na loja, nem uma árvore de Natal como a que vi lá na outra loja, eu só queria que o senhor neste Natal presenteasse minha família com o que comer neste dia. Isso é a única coisa que quero. Vou esperar Papai Nuel o senhor vir me presentear, e todos nós ficaremos muito gratos.”


Ao terminar de escrever a carta, Racchel a coloca dentro de um envelope e vai até a sala onde está sua mãe.

Vamos falar um pouco da mãe de Racchel... Seu nome era Kristin K. Ackermann, ela era uma mulher amarga e sofrida, típica de uma mulher de sua época. Ela ajudava na renda de sua família com as roupas de lã que ela tricotava, não era muito o que ela ganhava, mas dava para ajudar na renda familiar. Kristin era casada com Manfred W. Ackermann, um homem de poucas palavras, que só falava o necessário. Ele trabalhava o dia inteiro como carpinteiro, ganhava o necessário para o sustento da família, pois naquela época o seu trabalho ainda era muito desvalorizado.

Voltando a falar de Racchel e sua carta, como eu ia dizendo, ela foi até sua mãe de cabeça baixa e disse bem baixinho: - Mãe... tome.

Kristin olhou para a menina e lhe perguntou: - O que foi Tochter? O que é isso?


Ela olhou novamente para mãe e disse:


- Mãe eu escrevi uma carta para o Papai Nuel, aquele homem que aum senhora estava falando lá na praça.


A mãe da jovenzinha olhou para ela e disse: - Deixe-me ver...


Ela olhou bem aquela carta e disse: - Está na hora de dormir meine liebe.

E sem esperanças de que a mãe fosse entregar aquela carta, Racchel, foi dormir. Então a mãe pegou a carta e começou a ler, durante a leitura daquela carta Kristin chorava por não poder oferecer uma vida melhor para a pequenina. Ela terminou de ler a carta e guardou-a na gaveta da cômoda da sala...



Continuação na sexta-feira, não percam! Para ler a primeira parte vá até arquivo de poemas&poesias.


- O que está achando da história? Deixe sua opinião nos comentários...

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Noite de Natal - Parte 1


Enfim, é chegado o Natal, data que é esperada por muitas pessoas. A nossa história começa em 20 de dezembro de 1907, em um lugar muito distante daqui, em Munique, na Alemanha.

Na semana preparativa do natal uma jovem menina chamada Racchel, sonhara com um Natal feliz, uma árvore enorme na sala, presentes e muitas coisas para comer, mas sua família era de origem humilde, não tinha dinheiro para fazer um banquete para a ceia de Natal. Toda vez que menina passava pela praça perto de onde morava, ela ficava a contemplar todos os enfeites que ali era colocado, ficava admirada quando olhava em uma vitrine de loja aquela linda árvore de Natal toda enfeitada.


Quando passava em frente às lojas de brinquedo seu coraçãozinho se enchia de tristeza, pois ela sabia lá no fundo que seus pais não tinham condições de lhe presentear com um daqueles mimos tão lindos! Racchel era uma criança solitária, quase não a via brincar com outras crianças, era calada e mal saía de casa, das poucas vezes que saía era com sua mãe.


Mas semana de Natal era especial, eram os dias mais especiais, aqueles que ela adorava sair pelas ruas para olhar as coisas com sua mãe. E neste Natal de 1907, ao sair na rua algo lhe soou diferente, ela sentiu uma falta de comemorar essa data tão festejada pelos outros. Foi então nesse dia que ela ouviu falar de um tal de Papai Noel, ela ouviu dizer que ele era o homem responsável pelos brinquedos de todo mundo, que com seu trenó ele entregava os presentes nas casas na noite de Natal. E ela ficou pela praça durante um bom tempo ouvindo sobre aquele homem. Ao sair de lá ela foi caminhando pela rua nevoada de onde ela morava e pensativa ela estava, até ter uma nobre idéia. Quando chegou em casa, Racchel, pegou seu pequeno lápis que já estava gasto, a folha de seu melhor caderno e sentou na mesa da cozinha de sua casa e ali então começou a escrever uma carta ao Papai Noel.



Segunda parte na sexta-feira , não percam!

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

O Amor Chegou


O amor chegou assim
Abriu novos horizontes para mim
Me fez viajar pelo vento
Sentir seu toque em todo momento
O amor chegou e ficou
A minha história mudou
Me fez amar de verdade
Trouxe você para minha realidade
O meu porto seguro
Que tirou meus olhos do escuro
Trouxe para mim uma luz
Que me ilumina e me conduz
O amor chegou para ficar
Para me fazer te amar
Como nunca amei antes
Para estar contigo em todos os instante
Até nos momentos de dor
Pois irei te curar com meu amor
Nada nos fará parar
Muito menos deixar de nos amar
Porque tenho grande amor por você
E é isso que me faz viver.



Dedicado à Ricardo E. Soares.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Louco Desejo


Deixa-me te falar
O que não consigo mais evitar.
É uma vontade louca de te ter
Aquele louco desejo de te ver

E quando te vejo
Minha boca anseia pelo seu beijo.
Como os rios anseia pelo mar
Assim sou querendo te tocar.

Ah! Que louca é essa sensação
Que prende minha respiração.
Deixando-me sem saber o que fazer
De coração aberto para você.

Isso que você me faz sentir
Me leva cada vez mais para ti.
Talvez porque queres me amar
De um jeito que só eu sei interpretar.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Campanha: Doanção de Sangue!


Eu gostei tanto de doar sangue que resolvi fazer um post aqui, talvez para ver se mais alguém se anima.

Se alguém doar, avise-me!


"Foto do momento: Doação de sangue dia 26/11/2009. Nesse dia eu fui até entrevistada pela equipe de reportagem da TV Record regional. É uma sensação incrível de satisfação doar sangue. Lá no Hemolagos todos te tratam muito bem, é muito gratificante saber que estamos ajudando quem precisa e sem contar a satisfação pessoal por se tornar "mais importante" perante a sociedade. A semana do em homenagem ao doador vai até o dia 04/12/2009, doe vc também, seja vc de Cabo Frio ou não. Procure o Hemocentro de sua cidade. É muito gratificante para todos uma doação. (Ana Paula Marinho)"




Saiba mais sobre a doação:


Orientações para doadores de sangue
Há critérios que permitem ou que impedem uma doação de sangue, que são determinados por normas técnicas do Ministério da Saúde, e visam à proteção ao doador e a segurança de quem vai receber o sangue.
O doador deve...
- trazer documento oficial de identidade com foto (identidade, carteira de trabalho, certificado de reservista, carteira do conselho profissional ou carteira nacional de habilitação);
- estar bem de saúde;
- ter entre 18 e 65 anos;
- pesar mais de 50Kg;
- não estar em jejum; evitar apenas alimentos gordurosos nas 4 horas que antecedem a doação.

Impedimentos temporários
- Febre
- Gripe ou resfriado
- Gravidez
- Puerpério: parto normal, 90 dias; cesariana, 180 dias
- Uso de alguns medicamentos
- Pessoas que adotaram comportamento de risco para doenças sexualmente transmissíveis

Cirurgias e prazos de impedimentos
- Extração dentária: 72 horas
- Apendicite, hérnia, amigdalectomia, varizes: 3 meses
- Colecistectomia, histerectomia, nefrectomia, redução de fraturas, politraumatismos sem seqüelas graves, tireoidectomia, colectomia: 6 meses
- Ingestão de bebida alcoólica no dia da doação
- Transfusão de sangue: 1 ano
- Tatuagem: 1 ano
- Vacinação: o tempo de impedimento varia de acordo com o tipo de vacina

Impedimentos definitivos
- Hepatite após os 10 anos de idade
- Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças transmissíveis pelo sangue: hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas
- Uso de drogas ilícitas injetáveis
- Malária

Intervalos para doação
- Homens: 60 dias (até 4 doações por ano)
- Mulheres: 90 dias (até 3 doações por ano)

Doe sangue com responsabilidade
Você sabe o que é
janela imunológica? É o período entre a contaminação da pessoa por um determinado agente infeccioso (HIV, hepatite...) e a sua detecção nos exames laboratoriais.

No período da janela imunológica, os exames são negativos, mas mesmo assim o sangue doado é capaz de transmitir o agente infeccioso aos pacientes que o receberem.

A sinceridade ao responder as perguntas do questionário que antecede a doação é importante para evitar a transmissão de doenças aos pacientes.

Nunca doe sangue se você quiser apenas fazer um exame para AIDS. Neste caso, procure um Centro de Testagem Anônima e gratuita.

Informe-se pelo Disque-Saúde: 0800-61-1997

Cuidados pós-doação
- Evitar esforços físicos exagerados por pelo menos 12 horas
- Aumentar a ingestão de líquidos
- Não fumar por cerca de 2 horas
- Evitar bebidas alcóolicas por 12 horas
- Manter o curativo no local da punção por pelo menos de 4 horas
- Não dirigir veículos de grande porte, trabalhar em andaimes, praticar paraquedismo ou mergulho

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Dúvidas


Quando ela chega me deixa sem noção
Fico aflita com um aperto no coração.
Essas dúvidas que me deixa louca
Que me faz ter vontade de rasgar todas as roupa.

Quando ela bate na minha mente
Me deixa cega sufocando-me loucamente.
Essas dúvidas que vem e não se vão
Acaba com a sanidade da minha razão.

Fico sem saber o que fazer quando ela vem
Meus sentidos e minhas emoções se perdem.
E nessas horas as lágrimas também rolam
Mas sem saber o porque choram.

Dúvidas... tantas delas me adormece
E nenhuma delas me aquece.
Mas o que elas não me dizem
É o mesmo que elas desmentem.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Trabalho de Filosofia: A Minha Hora


A minha hora é chegada
É o término da minha jornada.

O vento que aqui já não passa
Não faz mais barulhos em minha casa.

A minha morte hoje chegou
Trouxe um pouco de amor

De saudade deste meu lugar
Que sempre irei lembrar
Quando enfim eu chegar lá.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Longe de Mim


Foi como uma luz no fim
Que te levou para longe de mim.
Tudo aconteceu rapidamente
Quando te vi entrar em minha mente.
Tive uma forte sensação
Naquele momento senti um aperto no coração.

Foi no exato momento
Quando você foi junto ao vento.
Para longe de mim...
Deixando-me sofrendo assim.

Com um sentimento no coração
Que não é amor e sim solidão.
Aquele medo de te perder
E não mais ao teu lado poder viver.

domingo, 29 de novembro de 2009

Que Falta Você Faz


Hoje a noite cai sobre mim
Deixando um vazio sem fim
A sua voz não estar a soar
Em meus ouvidos a me chamar.

Os seus olhos que hoje não vi
Ofuscou de meus lábios o motivo de sorrir
Deixando-me sem chão
A beira de perder os sentidos da razão.

Agora a saudade aperta aqui dentro
Levando-me até à ti neste momento
Momento que me faz sentir
Um medo de não ficar junto a ti.

Que falta você faz
Parece que perdi a minha paz.
Ainda mais nesta noite que me consome
Que faz meu coração gritar o seu nome.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Meu Adeus


Ouça o que tenho a lhe dizer...
- Terás que me esquecer.
Ouça somente o meu adeus
O último a soar nos ouvidos seus.

Não tinha que ser assim
Mas esse amor chegou ao fim.
Fez demais meu coração sofrer
Fingiste que não podias ver.

E agora ouça o meu adeus
Não terás mais os beijos meus.
Somente isso que tenho a dizer
Uma palavra que não caberia à você.

Não pense que é por falta de amor
Foi porque você se distanciou.
Me deixaste fora dos dias seus
Por isso com lágrimas te deixo meu adeus.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Meu "Eu" Em Você


Ainda existe meu "eu" em você
Isso você não quer perder...
Olha como é o amor
Somente em ti ele ficou
Por isso ainda existe muito de mim
Até os sentimentos que entreguei a ti.
Mas não teve como evitar o fim
O seu "eu" não estava em mim.
Ficaste tanto tempo distante
Havias esquecido que eras um eterno amante.
Tempos passaram e o amor acabou
O meu "eu" em ti ficou.
Tanto que não esqueces os dias felizes
Quando éramos nossas diretrizes.
Eu sei que ainda existe muito de mim
Que queres ter tudo junto a ti.
Porque ainda existe meu "eu" em você
E disso você não quer esquecer.
Mas olhe, o nosso amor acabou
Você não o cultivou...
Ainda existe um pouco de você
Se queres saber...
Mas você não teve medo de me perder
E ao sair por aquela porta eu resolvi te esquecer.
Me deixaste sair sem tentar conversar
E ainda pensas que vou voltar.
Mas somente meu "eu" em você irá ficar.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Amor Fugaz


Chegou de repente
E logo se fixou na gente
Foi um amor fugaz
Que a lembrança nos trás.
Era ardente como fogo
Mas acabou de novo.
Não era tão real
Mas era algo fora do normal.
Eu me sentia viva
Parecia que ele me trouxe vida.
Mas logo foi embora
Antes mesmo de ter chegado a hora.
O vento o levou consigo
Deixou somente a saudade comigo.
Um amor que não parecia ser fugaz
Parecia que tinha algo a mais.
Mas hoje eu estou sem ele
Mas parece que aqui ele sempre esteve.
E cada vez que olho não o vejo
Fazendo-me sentir aquele louco desejo.
Eras tão enlouquecedor
Mas logo o tempo te levou.
Agora só me resta saudade
Do amor fugaz que ainda me invade.

  • Significado para Fugaz: adjetivo. Que dura pouco; fugidio; transitório; tudo que seja a pouco prazo (pessoas, sentimentos, coisas...)

sábado, 21 de novembro de 2009

Sentimentos Quebrados

Tudo está fora do lugar...
Meus passos parecem não andar.
Fico aqui juntando os cacos
De sentimentos que foram quebrados.
Pelo frio que a noite trás
Por ser um amor tão fugaz.

Olho para os cantos e vejo tudo vazio
O sofrimento corta a vida como um rio.
Fazendo tudo aqui ficar escuro
Fazendo-me ver que o tempo é curto.

Mas ainda posso ver os cacos pelo chão
Cacos do meu próprio coração.
Pois hoje tudo se perdeu
Já não me vejo mais no seu "eu".
E talvez lá fora exista algo mais
Mas nunca o mesmo amor de dias atrás.



Não encontrei imagem para esta poesia :s

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Raios de Amor


Hoje o dia amanheceu sorrindo
Olhe para o céu e vejo o céu se abrindo.
São os raios de amor que vem me iluminar
Rendendo-me somente para te amar.
Trazendo felicidades ao meu coração
Ah! Como é bom se entregar à paixão.
Sentir o calor do amor na pele
Viver a vida cada vez mais leve...
Porque só o amor me faz sentir assim
Viva! E querendo você só para mim.
Enquanto isso o dia está sorrindo...
E a janela do coração está se abrindo.
Veja como é bom amar
Acordar e em você viajar e sonhar.
Sem medo de despertar
Do sonho que não quero mais acordar.
Olhe, o dia está sorrindo...
É um sinal que meu amor está vindo.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Contando Os Passos


Ando pelas ruas contando meus passos
Tentando encontrar o caminho dos seus abraços.
Olho para os lados e nada de você
Aí de repente me bate o medo de te esquecer.

Ao caminhar por meus caminhos
Procuro sentir em mim os seus carinhos.
Mas olho em minha volta e não te vejo
E com esperança fico a espera de um beijo.

Te procuro pelas minhas ruas
Mas não encontro palavras suas.

Fico sem saber em que caminho te encontrar
Ou quando a saudade irá acabar.
Enquanto isso vou andando contando os passos
Até encontrar o caminho direto para os seus braços.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Corações Distantes


Não consigo parar de pensar
Por onde deves andar
Se andas sem direção
Se estais à procura do meu coração
Se andas perdido em algum lugar
Se assim como eu com saudade está.
Longe de mim eu sei que andas
Mas mesmo assim sei que me amas
De um jeito que só você entende
Um jeito que ninguém compreende.
E as lágrimas de saudade
Que molham nosso rosto é uma realidade
Pois de corações distantes estamos
E que mesmo assim nos amamos.
Não sei como controlar essa dor
Que angustia cada vez mais o nosso amor
Deixando-nos sempre na saudade
De um amor que juramos ser de verdade.
E não dá para deixar de amar
Mesmo que longe possamos estar
Pois uma coisa nos ligou
O sentimento que descobrimos e que
chamamos de amor.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Sinto Falta de Você


Te sinto cada vez mais perto
Parece que nesta noite seu coração está aberto.
Posso ouvir sua voz a me chamar
Num tom suave fazendo-me suspirar.

Vejo que meus olhos começam a chorar
É a saudade que começa a falar.
Pois hoje mais do que nunca sinto falta de você
Dando-me uma louca vontade de te ver.

E ao silêncio sinto um vento
É um sinal que estais pensando em mim
neste momento.
E pelo pulsar do meu coração
Sinto que mais envolvida estou na paixão.

Posso sentir você a me olhar nesta noite
Querendo apenas uma palavra para abraçar-te.
Sinto você em tudo!
E assim descubro que és meu mundo...

Ê saudade...



For Ricardo E. Soares

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Amor "Animal"


Lembro-me do dia em que entrou na minha vida...
Eras tão pequenina e delicada,
Mas desde já eras muito atrevida
E sem querer eras muito amada.

Foi um impacto te olhar
Pois eras tão esperada.
Foi loucura logo de cara te amar
Mas eras tão "espivitada".

Olhastes para mim com um olhar pidão
Foi fácil derreter meu coração.
Eras para mim como um presente
Que me deixara muito contente.

Hoje és a minha alegria
A qual me faz sorrir de noite e de dia.
Amar mais do que isso só amo ao seu pai (rsrsrs).
Mas mesmo assim na minha vida estais.

Pode parecer loucura
Mas o que sinto por ti é um amor sem cura.



Poema inspirado na minha cachorrinha, Anna Kamilly.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

O Amanhã



O amanhã não se sabe
Se será cedo ou tarde.
Não se sabe se haverá dia
Ou se terá alegria.

Pode ser que o amanhã não exista
Ou que a vida não persista.
O dia pode amanhecer escuro
Ou não haver mais um mundo.

Pois o amanhã não é certo
Talvez porque no hoje faltou afeto.
Talvez porque a noite foi mais escura
Porque a vida é como um rio que flutua.

O amanhã não existe
Nisto a vida só finge.
Porque não se sabe se amanhã haverá dia
Muito menos paz, amor e amônia.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

O Beijo de Um Beija-Flor


Flor que foi beijada pelo beija-flor
Que as beijou com doçura e amor
Ontem beijara a margarida
De todas a mais florida.

Beijara os fios?
Que viraram seus ladrilhos.
Nenhuma flor podes beijar
Porque os fios tomaram seu lugar.

Mas não desista beija-flor
Veja que a flor do campo não mudou.
Continue a beijar suas flores
E as encha com todos seus amores.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Angústias do Meu Viver


As angústias do meu viver
Estão ganhando sentidos.
Porque não posso mais ver
Se vale a pena o que eu tenho vivido.

O meu tempo está parado
E me mostra o que eu não quero ver.
O meu amor que foi sacrificado
Que fez o tempo parar sem você.

Posso sentir minhas angústias falar
Dizendo-me o que não quero ouvir.
Pois meu coração congelado está
Esperando o amor invadir.

E pela janela vejo que não tem vento
O meu mundo parou completamente.
Já não tenho mais momentos
E a vida não tem sido tão sorridente.

Angústias do meu viver
Só o tempo pode curar.
Só o tempo te fará voltar
E reconstruir minha vida para te amar.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Amor & Amizade


Chegou assim de repente
E logo surgiu algo entre a gente.
Uma coisa que foi dominando
E cada vez mais nos aproximando.

Um sentimento que nos uniu
E a porta do coração se abriu.
Uma amizade que aquece o coração
Que as vezes é até sem noção.

E quando rola aquele desejo
Disfarço fingindo que não quero um beijo.
Mas as palavras não negam
E nas suas ironias sempre navegam.

Mas na verdade o que rola é amizade
Porque vontade são vontades,
E sempre se esclarecem mais tarde.
Mas o que rola mesmo entra a gente
É amor e amizade.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

O Brilho do Seu Olhar


É o brilho do seu olhar
Que e faz sonhar.
Iluminando sempre meus sonhos
Transformando-os em mais risonhos.

É o brilho do seu olhar
Que me faz viajar.
Levando-me a outros lugares
Fazendo-me perder os ares.

É o brilho do seu olhar
Que me deixa sem dormir.
Que me faz sempre te amar
Na espera de você vir.

Só o brilho do seu olhar
Que ilumina meus dias.
Fazendo-me sonhar
Enchendo-me com suas alegrias.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Só Você


Toda vez que eu te vejo
Fico ansiosa à espera de um beijo.
Só tua voz sabe me acalmar
Só ela me faz suspirar.

É como se o tempo parasse ao te ver
Só para ficar mais tempo perto de você.
Pois só você me deixa cheia de paixão
Que faz minha morada em seu coração.

E não é um sentimento Comum
É um amor que nos une como um.
É um desejo que vem de dentro
Com a vontade louca de estar junto a todo momento.

Não me vejo nessa vida sem você
Pois ficar contigo "forever" é o meu querer.
Você a quem tanto amo
Um sonho que jamais será engano.


Dedicado à Ricardo E. Soares

-
FOREVER = Para Sempre

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Amor "Vagabundo"


Que amor é esse?
Amor vagabundo
Vive andando pelo mundo.
Cheio de interesse.
Tantas já caíram
O amor vagabundo sentiram.
Aquele que ama qualquer
Só pelo fato de ser mulher.

Ele vive a viajar
Em cada ponto quer se entregar.
Esse amor vagabundo
Vive invadindo os mundos.

Mal sabe o que perde
E a ninguém se converte.
Voa voa por aí
Procurando alguém
Para depois ele partir.
Mas ele ainda não encontrou ninguém.

Amor bandido
Que deixa sempre um coração ferido.
Que se não importa,
Que a vida dele esteja torta.
Ele é bandido porque um dia foi ferido
Amor vagabundo só deixa de ser
Quando ele descobrir o seu mundo.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Outra Vez Saudade


Cada vez que lembro de você
Sinto que mais forte o coração vai bater.
Sinto outra vez saudade no peito
Saudade danada que não tem jeito.

Nada aqui supera a falta que me faz
Aquela suave voz do meu rapaz.
Grandiosa é essa saudade
Que me maltrata sem dó nem piedade.

Se eu olhar o céu sei que fico mais perto
Mas hoje o céu não está aberto.
E outra vez vejo a saudade
Que em mim já está virando maldade.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Hora de Partir


Ás vezes eu pensava
Que o amor não me dominava.
Mas ele me dominou
E em seus braços me levou.
E agora é chegado à hora.
É melhor eu ir agora.
E eu que pensava que esse dia
Nunca iria chegar
Que nada me levaria deste lugar.
Mas vejo que é chegado a hora
Hora de ir embora.
Deixar para trás o melhor
O melhor de uma vida que vivi só.
Mas enfim...
Acho que os sonhos acabaram sem mim.
Retomarei a vida quando o sol nascer
Aprenderei de outro jeito viver.
Numa vida que já tinha me esquecido
De como é difícil viver.
Mas que mesmo assim eu lembro ter vivido.

sábado, 17 de outubro de 2009

Noite de Chuva


Gotas caem neste chão
Fazendo-me lembrar de minha paixão.
O toque da brisa fresca
Mostra-me que a chuva é a mesma.

Noite de chuva passa de vagar
As gotas caem parecendo chorar.
Nada como uma noite de chuva
O vento frio sempre faz sentir saudade sua.

Gotas viram orvalho ao amanhecer
Mas sempre fazem minha saudade florescer.
Noite de chuva é de solidão
Deixando a mercê o meu coração.

Sabe que até gosto de chuva...
Ainda mais andar com ela pela rua.
Mas noite de chuva sempre me traz saudade
Saudade que virou minha realidade.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Restou Saudade


Sinto-me sozinha de novo
Parece que no amor estou perdendo o jogo.

É como se o sentimento estivesse longe de mim

Esperando pelo momento certo de partir.


Só o que parece nos unir é a saudade

Ela que nos aproxima de verdade.

Mas o ar não parece com o de antes

Aquele que transpirava amor a todo instante.


Viramos um barco à deriva
Que só espera o vento nos levar pela vida.

Você vive como se do outro lado do céu

Não existisse um alguém

Como se para você eu não fosse mais ninguém.


E o que restou foi a saudade

Dos dias que vivíamos com felicidade.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Lindo Dia


Hoje o dia amanheceu sorrindo
Olhe por sua janela e veja o céu se abrindo.
Que lindo dia hoje faz
É como se tivesse um motivo a mais.

O dia parece estar apaixonado
Até ele quer ser amado.
Posso até sentir o cheiro de amor pelo vento
Que toca rapidamente meu coração aqui dentro.

Hoje mesmo sem ver sinto que o dia está lindo
Porque vejo o céu se abrindo.
E o dia amanheceu diferente
Ele poderia ser assim sempre e sempre.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Um Laço da Paixão


Não sei se ainda fazes o bem para mim
Se fazes por que me sinto assim?
Será que tudo foi uma ilusão?
Um laço preparado pela paixão?!

Ah, hoje é até difícil de respirar
Pois entreguei-me a ti como se fosses meu ar.
Será que tudo foi ilusão?
Até as doces palavras que você dizia ser de coração?!

Foi tão fácil me conquistar
E é tão difícil deixar de te amar.
Por que será que me sinto assim?
Será que não fazes bem para mim?

Ah, é tão difícil me manter no chão
Parece que meus pés se perderam na escuridão.
Tudo aconteceu tão rápido em nós
E hoje veja, acabamos sós.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

A Última Lágrima


Uma última lágrima vou derramar
Pois amor de verdade não faz chorar.
Não quero mais viver em dúvidas
Ver que os outros rostos pelas ruas.

Sentir cada vez mais tudo distante de mim
Como se estivesse chegando ao fim.
Essa será a minha última lágrima
Meu coração será frio como uma maquina.

Será a última que derramarei no seu adeus
Será a última que verás nos olhos meus.
Uma última lágrima derramarei
Guarde-a para você, a quem nunca verei.

Acredite, esta é a última que irei derramar
Até o dia que um novo amor chegar.
Enquanto isso guarde-a para você
Pois jamais irás me rever...